“Bata nela!”

violência

Crianças sempre nos dão importante lição de respeito.

Em algum ponto da trajetória humana desenvolvemos o desrespeito pelo semelhante, considerado mais fraco. Pode ser fruto de má educação, o eclodir da verdadeira personalidade, ou outros vários motivos.

E neste aspecto é marcante na sociedade até aqui a violência contra mulheres.

Mas qual a reação de crianças quando recebem o comando para agredirem uma menina: “bata nela!”?

Neste interessante vídeo uma campanha de conscientização sobre a violência contra a mulher realizada pelo site italiano Fanpage.it.

“Porque eu sou homem!”

Anúncios

O que deveriam estar fazendo os jovens israelenses?

Anteontem revi este vídeo abaixo no qual alguns soldados do exercito israelense dançam inocentemente uma música do músico brasileiro Michel Teló que virou sucesso mundial.

Não acredito que soubessem o que diz a música, mas penso que eles somente quiseram se divertir, como o fazem milhões de jovens no mundo todo.

O que me tocou foi justamente o absurdo que é continuar vendo jovens que deveriam estar se preocupando com brincadeiras próprias da idade, com interesses em arte, estudos, conhecimento e diversões apropriadas, terem que deixar isso para matar o semelhante.

É lamentável este estado de ignorância e barbárie.

Mas tenho convicção que estamos próximos a deixar isso para um passado, que vamos pela primeira vez em nossa Humanidade realizar aqui o projeto de solidariedade, fraternidade e respeito, que implicarão em uma cultura de paz.

E aí os jovens não terão mais que se ocupar em jogar bombas nas casas e nas cabeças dos outros.

Que cada um de nós possa endereçar um pensamento de paz e de juízo aos orgulhosos e arrogantes governantes sem nos contaminarmos com o clima de ódio e de violência.

Há também um com uma dança da cantora Kesha:

Pela paz, pela vida

Hoje – 21 de setembro – é celebrado pela ONU o Dia Internacional da Paz.

Por mais parodoxal que isso possa parecer em razão das medidas adotadas pelos governos, por mais que as próprias pessoas não pensem em desenvolver uma cultura de paz, é importante ir criando estes mecanismos para modificação do inconsciente coletivo.

Por isso, gostaria de lembrar uma iniciativa aqui de nossa querida Passos – MG, que não deu ainda os resultados esperados, mas tão somente pela mobilização e pelo reconhecimento da necessidade de ação já valeu, foi o Movimento pela Vida e pela Paz.

Continuar lendo

Quanta violência! Por quê?

violencia

Aqui em minha cidade, Passos, no interior de Minas Gerais casos de violência por banalidades como estas descritas no artigo são frequentes. E não é só aqui. Cidades menores enfrentam o mesmo problema.

Este texto é de pouco mais de dois anos atrás e continua atual, e lamentavelmente continuará por muito tempo.

A solução está em nós. Sem uma mudança radical da forma como vemos a vida, dos valores que nos orientam, infelizmente o resultado é quase matemático: mais violência a cada dia.

Reflitam e opinem.

Quanta violência! Por quê?

por Dom Odilo P. Scherer

Notícias chocantes sobre atos violentos se multiplicaram nas últimas semanas: é filho que degola os pais, jovem que chega ao bar, ferindo e matando porque alguém mexeu com a namorada, mulher que mata a filhinha do amante, motorista que lança o carro sobre ciclistas em passeata pela rua; são adolescentes que matam a coleguinha rival no primeiro amor… E os casos poderiam continuar, é só seguir o noticiário de cada dia.

Continuar lendo

Sunday Bloody Sunday

Há muitos que perderam, mas me diga: quem ganhou? U2

Porque hoje é domingo!!!

A banda irlandesa U2 lançou a música Sunday Bloody Sunday em 1983.

A canção se refere ao célebre Domingo Sangrento, ocorrido em 1972,  no qual tropas britânicas reprimiram com violência um protesto popular.

Decorridos mais de 40 anos do fato e 30 da canção, estas demonstrações de ódio e violência ainda acontecem.

A pedido da ONG estadunidense One Agit8 a banda regravou a célebre canção em uma versão acústica.

Continuar lendo