Você está doente, desanimado, estressado ou tudo ao mesmo tempo?

stress

Reproduzindo do site de Christian Barbosa.

Você está doente, desanimado, estressado ou tudo ao mesmo tempo?

Christian Barbosa

Hoje, conversando com um leitor no aeroporto, que falava sobre o porquê ele não fazia o que deveria ser feito para ter mais equilíbrio e resultado, ele levantou uma questão interessante. Faz três anos que ele vive entre altos e baixos com a sua saúde. Nos melhores momentos ele dá um gás em direção ao que ele busca, mas logo depois vem algum problema de “saúde” que gera o desânimo, cansaço e a paralisação.

Ele foi ao médico, mas apenas para soluções pontuais, começou o coaching, que o ajudou, mas parou na metade. Agora ele está na terapia e começou a descobrir a possível origem dos seus problemas de “saúde”. Está animado e prometeu me escrever contando o resultado.

Com certeza você conhece alguém que rasteja pelo dia, cansado, desanimado ou sempre reclamando de alguma doença que surgiu de forma inesperada. Sempre há algo que não permite que a pessoa tenha sua plena performance em ação e, com isso, os anos vão passando nesse padrão.

Continuar lendo

Anúncios

Empresa dos Sonhos dos Jovens

O grupo Cia de Talentos, dedicado na Gestão de Pessoas, faz uma pesquisa anual sobre qual a Empresa dos Sonhos dos Jovens.

A versão deste ano contém as empresas admiradas por jovens de 17 a 26 anos, assim como o perfil dos líderes nos quais se espelham, que admiram e a partir deste ponto podemos ter uma visão das preferências e do que poderão se tornar.

Se você lida com jovens de alguma forma, a pesquisa pode te indicar algumas respostas e soluções sobre comportamentos.

É alentador verificar mais uma vez que os jovens têm como propósito valores mais humanitários, voltados para a coletividade (já falei aqui de um projeto muito legal o Gerando Falcões).

Veja na íntegra o vídeo de apresentação dos resultados:

Espero que alguns destes valores também façam parte da sua vida, que você sonhe com eles mas estabeleça metas para realiza-los.

Veja aqui também matéria da Revista Exame sobre este assunto

Amanhã eu faço!

Procrastinação.

Esta palavra complicada traduz uma prática ou hábito comum na vida de muitas pessoas.

Segundo o dicionário é sinônimo de adiamento, deixar para depois.

No dia a dia é fazer depois o que poderia fazer agora.

Pois é. Sabe aquela tarefa complicada, que exige muito, ou aquela outra, bem chata, que sempre vamos deixando para depois. É  este o caso.

Aí quando chega aos 45 do segundo tempo, começamos com a correria e às vezes a tarefa sai, mal feita, com muito estresse, mas missão cumprida.

Quem trabalha com prazo vive isso quase que diariamente.

Costumamos procrastinar decisões importantes na vida de relação também.

Uma conversa importante com um filho, um assunto que está incomodando um casal.

O resultado disso às vezes é desastroso, porque viemos empurrando com a barriga o problema, vai chegar um momento que não dá mais, ou chega a alguma situação limite e é briga na certa.

Já vi pessoas e empresas terem grandes prejuízos porque procrastinaram uma solução que seria facilmente dialogada, mas que por ter sido deixada de lado acabaram na justiça com muito conflito, mágoa e até muito ódio.

Mas além deste hábito de “empurrar com a barriga”, começo a pensar que isso tem a ver com um sentimento de imediatismo.

Somente procuramos fazer o que nos dá um prazer imediato. O que dá a sensação de desconforto, o que dá trabalho, o que faz pensar muito fica para depois.

E o incrível é que o mais das vezes o prazer ou satisfação será maior futuramente, mas optamos pelo imediato, ainda que menor.

Naturalmente este comportamento gera, com o tempo, estresse, sensação de culpa, menos valia, além da perda de produtividade.

E o mais engraçado é que a sensação de que estamos fazendo muito, e que nunca dá tempo é constante.

Penso que a maioria acaba fazendo isso por desorganização, incompetência para gerenciar as tarefas, como acho que é o meu caso.

Mas cuidado. Casos há que necessitam de tratamento especializado, pois podem ser resultado de desajustes ou transtornos psicológicos, como TDAH, depressão, ansiedade dentre outros.

A sensação para o outro é de que a pessoa tem preguiça, não tem ambição, não é esforçada, falta vontade, não é confiável, etc.

Por transtorno ou por ser relaxado é um problema que tem solução.

Tem um vídeo interessante, e se você se identificar com alguma parte dele, não se preocupe é mera obra de ficção…