Argumentos em prol de Dilma

brasil

Li na semana passada dois textos na coluna Opinião no Jornal Folha da Manhã que circula aqui em Passos e região, um deles denominado “Por quê Aécio” e outro “Argumentos em prol de Aécio” (leia este texto aqui), este último que serviu de motivação para estas linhas que seguem.

Também não tenho a mínima pretensão de estabelecer verdades, porque não reconheço  ninguém como detentor delas neste plano. Tampouco pretendo convencer alguém. Meu ofício me ensinou desde muito que nunca vou conseguir convencer a parte contrária, mas somente àquele que julga ou algum observador, quando muito.

Mas lendo e relendo os argumentos do ilustre Alberto Calixto Mattar Junior não me convenço que seja o momento de uma troca na Presidência da República do Brasil.

Isso porque o governo popular que se iniciou com Lula está no poder apenas há 12 anos, ao passo que as outras propostas que governaram o país até 2002 apenas se alternaram entre um e outro segmento da mesma ideologia, nunca dando chance para que houvesse uma efetiva participação do povo no Poder. Continuar lendo

Anúncios

Há um tempo…

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares.

É o tempo da travessia; e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.” 

Fernando Teixeira de Andrade 

O Brasil acordou

Frase-Haroldo Dutra Dias

Neste mês de junho de 2013 iniciaram-se protestos no Brasil de uma forma diferente.
Não há liderança única, não há uma pauta única, mas há uma inconformação com o status quo, com o que está estabelecido pelas classes dominantes.
É o sinal de uma nova era para o país.
E este movimento não é só para esta geração, mas principalmente para as próximas.

Se quiser baixar o arquivo clique aqui

Esta apresentação foi elaborado e formatada por alguém que assina com e-mail compaixao_cidadania@hotmail.com.

Versão beta permanente

Há um conceito interessante em empresas de tecnologia, que é a ideia da versão beta permanente.

A versão beta é aquela em testes para ser aprimorada; certamente vai existir uma versão posterior melhorada e ampliada.

E versão beta permanente é aquela que será constantemente aperfeiçoada. Há sempre uma equipe trabalhando pela evolução permanente da última versão.

Pois é. Acho que também somos assim.

Hoje segunda-feira sou uma versão melhorada de ontem. E amanhã tenho que ser melhor que hoje, e assim sucessivamente.

Esta a função destas nossas curtas existências terrenas: melhoria contínua.

É um conceito que se aplica em qualquer aspecto na vida.

“Somos seres em construção”

Profissionalmente, não há uma zona de conforto que você pode estagnar. É necessário sempre estudar e atualizar.

Toda empresa tem que melhorar o seu produto, tem que melhorar o atendimento e descobrir o que pode fazer para superar o concorrente e surpreender o seu cliente.

Ouvi ou li há algum tempo que a idade da pedra acabou não foi porque acabou a pedra…

Se você se acomodar alguém vai pegar o seu produto ou serviço e vai torná-lo melhor e mais prático.

Nos nossos projetos de desenvolvimento pessoal também é assim. Nos estudos, casamento, namoro, relacionamentos como um todo.

Casais reclamam da rotina, mas na verdade a queixa deve ser contra a acomodação, pois a rotina é algo bom e seguro.

A acomodação e conformismo não.

Tenho visto relacionamentos de sucesso e fracassados.

Os primeiros são de pessoas que surpreendem. Os que fracassam é porque deixaram de se reinventar.

Acomodar com a “versão atual” e pensar-se perfeito é um erro porque em breve estará ultrapassado.

Conformar-se com os seus limites, é acomodar com a forma que sua mente estabeleceu para determinada situação.

Somos seres em construção.

Aliás, aqui existe um aparente paradoxo: se você está em uma posição satisfatória, com rendimento pessoal, profissional, amoroso (ou o que queira) adequado, é preciso mudar para se manter no topo.

Ou seja: para ficar igual, mude.

É preciso se reinventar, surpreender, e fugir do fantasma da acomodação.