Genialidade segundo Nathaniel Branden

De onde vem a genialidade?

O que caracteriza os gênios?

O que os separa da mediocridade?

Estas questões permeiam a humanidade que admira homens de gênio, inovadores e criadores em qualquer área do conhecimento.

Faleceu esta semana o dr. Nathaniel Branden, psicólogo e escritor norte americano que se notabilizou pelas pesquisas em torno da auto-estima e do comportamento humano.

Nossa homenagem a ele na forma desta fantástica frase que leva a profundas reflexões e análise da nossa condição e se estamos dispostos a pagar os preços necessários

“ Inovadores e criadores são pessoas que conseguem aceitar a condição de isolamento em um grau mais alto do que a média. Eles estão mais dispostos a seguir sua própria visão, mesmo quando isso os leva longe do continente da comunidade humana.
Lugares inexplorados não os amedrontam – ou não tanto quanto amedrontam aqueles a seu redor.
Este é um dos segredos do seu poder.
Aquilo que chamamos de genialidade tem muito a ver com a coragem e ousadia, muito a ver com audácia.”   
Nathaniel Branden

Dr. Nathaniel Branden.

 

 

 

 
9/04/1930 – 3/12/2014

Anúncios

Principal meta da educação

 

“A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe.”

Jean Piaget

O que é inovação?

Sucesso é fazer as coisas ordinárias, extraordinariamente bem. Jim Rohn

Ontem quando postei sobre crescimento e inovação. Fiquei pensando em um conceiro de inovação.

Uma ideia falsa que se faz de inovação é pensar que somente inova quem tem uma ideia inédita.inovação

Tem muita pensando e esperando uma ideia totalmente original ou inventar algo novo e impressionante, que mude o mundo e fique muito rico com isso.

Mas os grandes e frequentes exemplos de sucesso são as reinvenções.

Quantos lugares você visita e pensa no que poderia ser mudado? Um serviço que te prestaram e não está satisfatório?

Pois é. O sucesso começa por aí, fazer o que NÃO estão fazendo.

Trabalhe com o que tem e preste um excelente serviço. Melhore as condições já existente.

Observe, analise e aproveite a oportunidade.

Crescimento e Inovação

gráfico

O Brasil vive uma fase diferente de sua história e acho que a maioria ainda não compreendeu exatamente o que está acontecendo.

Na verdade há uma mudança de paradigmas históricos.

Dívida externa. FMI. Salário de mais de 100 dólares (na verdade de mais de 330 dólares).

Entre 2001 e 2010 houve um crescimento de 64% no número de registro de patentes no Brasil.

Óbvio que em números absolutos, o Brasil tem um resultado ínfimo perante países com tradição em inovação, como EUA, Alemanha, Japão, e atualmente a China.

Para se ter uma ideia, nos últimos 100 anos anteriores a 2011 apenas a Alemanha, o Japão e os Estados Unidos estiveram no topo.

Em 2011 a China recebeu 526.412 pedidos de Propriedade Intelectual; enquanto os Estados Unidos, 503.582 e o Japão, 342.610.

Podemos dizer que isso é devido às  diferenças econômicas, o que é evidente. Mas não justifica a disparidade.

Ouvi em uma palestra que as escolas chinesas incentivam a inovação e o empreendedorismo.

Boa dica para o Brasil, pois o brasileiro é inovador e criativo por natureza, tem facilidades para buscar alternativas em situações difíceis.

Porém, incentivar isso como cultura, de forma sistemática e planejada, ainda não é uma realidade por aqui.

Temos no Brasil um Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, mas pouca gente utiliza os projetos e recursos existentes.

Mas porque somos os lanternas dos chamados Brics em vários aspectos?

Justamente por questões culturais e de autoestima. Falta de acreditar em seu potencial.

A síndrome do vira-lata que tanto já se falou.

Basta acreditar e desenvolver. Potencial sobra!