Eu, o desinformado

Desinformados atuais. 

Este semana acredito que fui um dos agraciados com o adjetivo de desinformado pelo ex-presidente da república de nada saudosa memória Fernando Henrique Cardoso.

No afã de justificar o injustificável destilou o veneno do ódio e do preconceito para desqualificar os eleitores que democraticamente optam por Dilma Rousseff.

Aliás, penso que é a natural opção entre modelos de governo. Opção do próprio povo brasileiro sobre qual forma o Estado deve ser gerido, e não uma meia dúzia de intelectuais que não conhecem o próprio país decidindo isso.

Essa arrogância de se achar mais brasileiro do que outros, ou de pensar que somente devem votar os “escolhidos” (obviamente que votam em quem eles querem) é a mesma retórica medieval da Casa Grande-Senzala.

Para esse pessoal somente são brasileiros os “bem nascidos”, participantes da elite, os que pretendem manter a colonização a qualquer custo.

O pensamento do ex-presidente é que quem votou em Dilma são desinformados e vivem nos grotões do Brasil.

De fato, moro no interior de Minas Gerais em uma cidade de menos de 150 mil habitantes e se o infausto político deseja, pode ser considerado um grotão.

Também não assisto TV, não leio a Veja, Folha de São Paulo, O globo e nenhum dos jornalões tradicionais, pela ótica dele sou também um desinformado.

É, pois, com muita honra que me considero um desinformado de um grotão brasileiro; pois se para ser informado ou estar na “moda” é ser alienado e colonizado por este pensamento atrasado, preconceituoso e representativo de todo atraso moral, intelectual e por que não espiritual da humanidade, não me sinto nem um pouco ofendido.

Esse pessoal não consegue entender que o país mudou.

Não conseguem entender que estes “desinformados” têm internet, vêm a mudança na sua própria vida e não precisam de uma “redeglobo” para dizer o que é bom para eles.

Por isso que qualquer que seja o resultado das eleições, continuo convicto que estamos em um caminho irreversível, e eles podem somente atrasar, mas nunca impedir que o povo brasileiro efetivamente seja o dono do país, realizando a sua missão de crescimento e evolução, proporcionando bem estar a TODO o povo que está em seu território.