A fé

fé

Costumamos pensar que fé é algo ligado à religião.

Já escrevi aqui algo sobre acreditar em Deus ou não.

Lamentavelmente não conseguimos, ainda, compreender que a nossa ligação com a Divindade é inerente à nossa própria criação e independe de crença ou de descrença. Pouco importa se você acredita ou não na existência de um Criador. Pouco interessa se você acha que é objeto de uma geração espontânea.

Fé no dizer contido em O Evangelho Segundo o Espiritismo[1]:

“Fé é a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação”.

Vontade de querer! Não apenas um desejo tênue e fugaz. Mas uma vontade firme e inabalável.

E quando obtemos a certeza de que vamos ter nossa vontade satisfeita isso é fé.

Mas quis a Lei Universal que somente merece esta satisfação aquele que tem esta vontade inabalável.

É como que se algo dissesse: “veja bem quem merece receber isso é só quem paga o preço”.

Eis o ponto!

Será que estamos dispostos a pagar o preço para obtermos o que desejamos qualquer que seja este objeto?

Estudar exaustivamente para uma prova.

Debruçar sobre um tema e esquadrinhá-lo para obter conhecimento.

Trabalhar incessantemente por um objetivo.

Ter disciplina para conseguir juntar dinheiro para comprar algo que desejamos.

Conseguir a força necessária para perdoar e não cultivar a mágoa.

Veja bem que tudo o que queremos obter tem um preço a ser pago.

Se a vontade é firme o suficiente certamente irá obter satisfação.

Com estas singelas palavras eis o que venho entendendo por fé.

 

[1] Leia o texto na íntegra aqui

Anúncios

Diante da Vida!

oliver-sacks

Hoje faleceu Oliver Sacks, médico, neurocientista e escritor inglês que emocionou o mundo com vários livros que se tornaram best-sellers. Tinha 82 anos e descobriu há pouco tempo um câncer terminal.

Em fevereiro de 2015 publicou um artigo no The New York Times relatando a descoberta deste câncer e suas expectativas quanto ao tempo restante de vida neste plano.

A morte é uma certeza de tudo o que tem vida física. Isso é um fato. Vivemos na expectativa incerta de quando será este dia.

Incrivelmente a maioria de nós rejeita sequer conversar sobre a morte como se fosse algo distante e impossível de acontecer a nós ou que fosse uma tragédia irremediável.

Vamos conversar mais sobre o assunto em outra oportunidade, mas hoje vou publicar a comovente e lúcida carta de Oliver Sacks que paradoxalmente fala da vida e do viver, na tradução do site Papo de Homem que você pode ler originalmente Oliver Saks.

Embora ele revele o medo desta nova condição, intuitivamente ele dá conta da confiança na continuidade.

De fato, tudo é vida. Sempre é vida!

Felicidades Dr. Oliver Sacks nesta sua nova etapa de vida!

Continuar lendo

Ah, os pais…

sofrimento

Nossos filhos não são nossos filhos, são filhos da ânsia da própria vida, escreveu Khalil Gibran.

Sim, entendo isso. Mas ser pai é mais que realizar a ânsia da vida, é crescer e aproximar-se de Deus.

Somos criados à imagem e semelhança de Deus por que somos cocriadores.

Vivemos em mundo de transição e no qual infelizmente o mal ainda predomina. Talvez por isso ainda seja comum vermos pais abandonando filhos.

Triste mas ainda é assim.

Mas há grandes e louváveis exceções. Pais que se dedicam e renunciam em favor do crescimento dos filhos. Continuar lendo

Apoio inesperado

É inegável que o doente de câncer precisa de muito apoio.

Inegável também que poucas coisas comovem mais do que crianças com câncer.

Um apoio inesperado veio para crianças em tratamento no GRAACC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer.

Imagine estas crianças recebendo apoio do ídolo ou super-herói favorito dos desenhos animados?

Pois foi isso que dubladores do Cartoon Network fizeram para levar mais alegria e humanização às crianças com câncer. Foi só um telefonema…

Este é um projeto do GRAACC chamado “Helpline de Desenhos”. Criada pela Ogilvy Brasil.

PS.: Ah! assista ao vídeo com um lenço por perto…

Reencontro emocionante

mindyglazer-

Todos nós somos frutos das nossas escolhas.

O lugar no qual estamos neste momento é o resultado de qual caminho resolvemos trilhar.

Evidentemente que as nossas escolhas são influenciadas por inúmeros fatores, dentre eles a família, o meio social, e a nossa própria índole, que no meu entendimento é herança nossa mesma, de vivências anteriores.

Lamentavelmente, as escolhas atuais têm um componente desastroso que são as drogas.

E estas levam à criminalidade também.

O que leva um menino legal, que era destaque na escola a trilhar o caminho do crime?

Veja no comovente vídeo abaixo um reencontro inusitado de um homem acusado de roubo com uma antiga amiga de infância, que no caso era a juíza de direito que o julgava.

Assista e tire suas próprias conclusões e em qualquer situação em que se encontre, agradeça e pense que é sempre tempo de reformular as rotas:

Incrível,né?