Escamas

O livro Atos dos Apóstolos narra uma singular história de conversão e de modificação.

Saulo de Tarso era um doutor da lei dos Judeus e por motivos que não cabem na motivação deste texto decidiu-se a perseguir os seguidores daquele tal Jesus, que ele não entendia.

Depois da dramática visão de Jesus às portas da cidade de Damasco, Saulo foi orientado a entrar na cidade de a procurar Ananias – que curiosamente era o homem que ele iria perseguir – e foi por ele “curado” da cegueira que subitamente o acometeu.

Ananias lhe impôs as mãos e lhe caíram dos olhos como que algumas escamas e ele iniciou ali sua trajetória de modificação.

Continuar lendo

Anúncios

Passageiros

efemero

A vida é trem bala, parceiro…” Ana Vilela

Normalmente não meditamos na fatuidade da vida.

Apesar de ser uma palavra difícil e que a gente quase não usa, fatuidade é tudo o que é fátuo, transitório, efêmero. E os fatos e situações que vivemos são transitórios; é da própria essência do viver.

Continuar lendo

Ouro de tolo

materialismo

Há um metal (pirita) que por sua cor amarelo-dourada e brilho recebeu o apelido de ouro dos tolos, devido à confusão com o metal nobre.

Conta-se que no século 19 na América do Norte houve uma busca desenfreada por ouro e espertalhões espalhavam pirita por terrenos distantes para vender estas propriedades como jazidas preciosas, enganando os ignorantes que pensavam enriquecer facilmente. Continuar lendo

Viver!

vida

Um dia… Pronto!… Me acabo.
Pois seja o que tem de ser.
Morrer: Que me importa?
O diabo é deixar de viver.

Mário Quintana

De fato, a morte é um fenômeno biológico do qual todos nós temos conhecimento e consciência que vai acontecer.

Diz-se popularmente que a única certeza que temos na vida é que vamos morrer.

Quando e como é que são as grandes incógnitas. Continuar lendo

Recados da Vida

sentir3

O que nos caracteriza e diferencia dos demais habitantes deste planeta – a racionalidade – às vezes nos torna seres práticos e pragmáticos, à beira da insensibilidade.

Pensamos demais e imaginamos que as coisas têm que ser úteis. E assim desvalorizamos o que realmente importa que é o sentir.

E a Vida nos convida sempre a sentir, como que intuitivamente soubéssemos que o caminho da nossa evolução é justamente aprimorarmos o sentimento.

E um destes avisos que a Vida dá vem através de recados que nos fazem refletir e sentir. Chegam pelas pessoas, pelas circunstâncias ou pela arte através de um livro, um filme ou de uma música.

É o que a Natureza utiliza para nos trazer de volta para este terreno da sensibilidade. Continuar lendo