Trago meu olá, sem prometer voltar sempre

borboleta

Há quase dois anos não escrevo para o blog.

Relapso. Descuidado. Desanimado. Cansado.

Tudo isso ou nada disso. Apenas prioridades.

A vida é feita de prioridades. E infelizmente escrever aqui não foi uma delas nesse período.

Mas fez e faz muita falta.

Humberto de Campos em 1935 escreveu uma tocante mensagem por intermédio de Chico Xavier: “Trago meu adeus, sem prometer voltar breve”[1]. É dela que resolvi parafrasear o título deste singelo texto.

Talvez seja um simples reinicio. Mas sem prometer nada.

Humberto de Campos pretendia se afastar do médium mineiro para evitar-lhe constrangimentos.

Volto para dividir e compartilhar pensamentos, idéias e ideais, sem qualquer constrangimento de parecer ingênuo ou sonhador. Mas também sem prometer freqüência ou voltar sempre, ou em breve.

 

[1] http://ocaminho.com.br/ocaminho/TXavieriano/Livros/Cat/Cat35.htm

Anúncios