Hoje quero ouvir a cidade

Quase não ando mais a pé, com exceção do meu quarto ao resto da casa ou até o portão.

Ando pelas ruas de moto ou de carro e sinto cheiro de cidade atrasada que não enxerga o agora, só o daqui a pouco.

Como sou parte de um meio, membro de um grupo, unidade de um coletivo também vivo aqui sem ver e vejo lá na frente o que ainda não existe.

Às vezes olho para trás como num retrovisor e sinto algo que chamam de saudade, saudosismo, mas logo percebo que isso também não existe e passo a olhar o agora.

Mas olho tão rápido e não tarda minha visão está lá na frente, no que ainda não existe, no que ainda vou fazer sem perceber e atentar para o que estou fazendo agora e assim também não vivo.

As horas encurtam, o tempo passa com tanta coisa por fazer. Acabo fazendo pouco por indecisão do que fazer agora. E nesta seleção macabra do que fazer acabo por buscar o que dá mais prazer. E neste grupo de tarefas quase tudo não era para se fazer e acabo aumentando o que realmente deveria fazer.

E nessa vida louca de interior que não se difere mais da capital, continuo vivendo lá na frente onde o mundo ainda não existe e nem vai existir se o aqui e agora não for realmente foco de minha atenção.

Na rua quero é chegar, aonde chego quero é sair pois tenho que voltar pra algum lugar.

Dia desses quando meu pé insistia em obedecer ao frenesi de minha mente habituada ao correr da vida contemporânea e minhas mãos insistiam em ligar o rádio que toca sem eu ouvir a música, mudei meu paradigma e desacelerei. Para minha “vozinha” interior fruto de minha mente falei bem claro: calma, hoje quero ouvir a cidade.

D MELO

Originalmente publicado em Recanto das Letras, onde poderá ser lido o original e outros textos do autor.

Clique aqui para saber mais sobre o autor

É possível falar em carreira de advogado?

Segundo dados da OAB somos cerca de 750.000 advogados no Brasil e a cada ano por volta de 70.000 novos profissionais ingressam no mercado.

Em números absolutos só perdemos para os Estados Unidos e Índia, respectivamente.

Com um mercado com esta efervescência e concorrência, pode-se afirmar sem medo que a carreira na advocacia é promissora.

Quando falamos em carreira pensamos em planos, metas, projetos. E por isso a questão no título: é possível falar em carreira de advogado?

A advocacia é uma atividade sui generis.

Segundo a Constituição Federal trata-se de atividade indispensável à administração da justiça, ou seja, é essencial ao desenvolvimento e desempenho da atividade do Poder Judiciário.

Porém, é uma atividade privada.

Quando o advogado trabalha em um grande escritório, que funciona como uma empresa, esta visão de carreira é mais óbvia, mais simples.

Mas e quanto ao advogado que atua como profissional liberal? Que desenvolve sua atividade de forma autônoma, sem qualquer vínculo ou garantia, sem a chamada estabilidade? Como planejar seu futuro como advogado? Como estabelecer metas e conseguir cumpri-las?

É uma equação interessante, pois exercemos atividade privada, que é de interesse público, e que conta com controle e limitações do Código de Ética que nos impede de atuar como qualquer outra atividade mercantil privada, até mesmo porque a advocacia não é uma atividade mercantil.

Por isso não tenho como responder à pergunta, mas aceito sugestões e abro o debate para futuras postagens.

Principal meta da educação

 

“A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe.”

Jean Piaget

Faça do estresse um aliado

Bem, hoje o texto é para elas.
Nos últimos cursos que participei, eram maioria. 
São maioria para acompanhar este blog, tanto no WordPress quanto pelo Facebook.
Portanto, nada mais natural que esta postagem direcionada para mulheres.
Porém, adaptando-se o que for necessário percebemos que a autora consegue retratar uma realidade comum que independe de sexo e qualquer outra convenção.
Como visto em o DM – MArketing Digital
Contatos da autora do texto Priscilla de Sá: Facebooksite pessoal e meu Twitter

Estressada? Parabéns! Antes de jogar tudo para o alto, experimente fazer do estresse um aliado

Por Priscilla de Sá
Escrevo para quem quer mudar de vida. Para quem não aguenta mais ter hora para entrar e não para sair do trabalho, e que nunca vai para casa sem pendências. Galgou responsabilidades, uma posição material confortável, e agora quer largar tudo porque não suporta a pressão.

Quando uma mulher diz que vai entregar o cargo, o carro e a aliança, eu proponho exercitarmos outra visão.

Estresse nada mais é que a percepção de que a exigência é maior que a competência.

Continuar lendo