Há juízes!

É alentador ver que ainda há Juízes humanos, solidários, que compreendem a finalidade da instituições.

Leia com atenção o histórico da mãe: sofreu violência sexual pelo pai, teve irmão assassinado, etc., ou seja, têm um  vida marcada pela violência, pela desumanidade, indiferência social e omissão do Estado.

Para os condenadores sistemáticos que estão pedindo “cadeia”, “cadeia”, sangue”, “sangue”, é difícil de entender deveres humanitários básicos.

Mas, para quem nunca obteve respeito por parte do Estado, como o respeitará?

Reflita na situação social que é de um caso, mas que representa inúmeros outros e veja o que podemos fazer para ajudar a nossa geração.